Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Caminhada - De Rossas à Freita

por darasola, em 07.09.08

Finalmente uma nova caminhada. Têm sido poucas ultimamente por me dedicar mais a outros hobbies e porque o grupinho das caminhadas anda disperso, mas lá nos juntámos fizemos mais esta. Desta vez ainda fiz de guia.

A caminhada foi organizada pela associação  Unidos de Rossas e tinha como objectivo ligar a freguesia de Rossas (Arouca) à Serra da Freita, passando por alguns dos antigos marcos da freguesia. Para quem não conhece, de Rossas à Freita é uma subida jeitosa!

O ponto de partida foi no parque de lazer de Sinja.

 Pouco mais à frente surgiu pela 1ª vez a cruz da ordem de malta, que aparece em todos os marcos da freguesia.

Passamos por uma zona onde é possível encontrar algumas casas com interesse.

O dia estava cinzento e ameaçava chuva mas o grupo ainda era extenso.

Um pequeno bosque de autrálias. Nem parece que está rodeado de casas.

O percurso levar-nos-ia à Pedra Boa, um pedra que corresponde às alminhas mais antigas da freguesia...

e que surge por oposição à pedra má, que fica do outro lado do vale do rio Arda. Pode-se ler com facilidade a inscrição na pedra e a data de 1663.

Logo à frente o grupo reuniu-se para observar o primeiro dos marcos da freguesia.

Todos possuem a cruz de malta, pois a freguesia pertencia à ordem de Malta e servia de refugio para todos aqueles que se encontrassem dentro dos seus limites. Os marcos são todos datados de 1629.

Uma vista sobre o vale de Rossas e a variante que o rasgou a meio.

Ainda nos foi possível visitar os locais de escavações arqueológicas no alto da Cividade. Felizmente o arqueólogo que participou nas escavações estava presente na caminhada e pôde explicar-nos o que estávamos a ver.

Uma visita a mais um marco escondido na vegetação.

A organização aguardava-nos neste cruzamento com água e fruta para todos.

Soube mesmo bem!

Na descida até à ponte sobre o rio Urtigosa, já estávamos a percorrer o percurso do PR2.

À chegada a Lourosa de Matos.

Tivemos ao longo de todo o percurso um caminhante canino que não largou o seu dono.

Em Lourosa de Matos, o percurso do PR2 coincide com o do GR28.

Perto da Portelada ainda havia mais um regalo: broa com mel! Era só abelhas sem asas...

As setas apontam para onde íamos. Ainda faltava bastante.

O grupo com Souto redondo em fundo.

Mais outra perspectiva de Souto Redondo e dos seus campos cultivados.

No centro do lugar, pelo meio das ruelas...

iniciámos aí mais uma subida, deixando os trilhos marcados do PR e GR.

Escadas para a Freita?

Seguimos num caminho de acesso aos campos e a algumas casas...

... até encontrar este caminho florestal...

... que se inicia junto a uma das placas das portas da Freita.

O grupo iniciou em conjunto a longa subida final...

... mas depressa se notaram as diferenças de andamento. Uns iam mais depressa e outros menos, mas o que interessa é mesmo chegar ao fim.

Já no cimo da Freita, a vista para a vila de Arouca. Acabámos por chegar à estrada junto à aldeia do Merujal.

Seguímos a estrada até chegar à Sr.ª da Laje.

O início do Santuário da Srª da Laje.

A capela da Srª da Laje.

Estava à nossa espera mais um pequeno lanche oferecido pela organização. Muito bom! Se todas as caminhadas fossem assim, acho que acabávamos por ganhar calorias em vez de as perder. Apesar de ter percorrido vários trilhos por Arouca, nunca tinha feito a subida à Freita. Agora, posso dizer que já está feito!

Boas caminhadas

Darasola

Autoria e outros dados (tags, etc)


1 comentário

Sem imagem de perfil

De medronho a 17.09.2008 às 12:08

Muitos parabéns pela actividade :))

Será que me pode dar mais informações sobre o GR 28. Onde começa...e termina? etc, etc

Muito OBG!

Comentar post



Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Instagram


Siga o darasola no Instagram

Instagram

Copyrights

A reprodução de todo ou qualquer texto, fotografia ou conteúdo é expressamente PROIBIDA sem autorização por escrito do autor. A reprodução não autorizada é punida por lei. O eventual uso de conteúdos deste blog deve ser SEMPRE acompanhado da referência ao mesmo (de preferência com link). Para contacto: dar.a.sola@sapo.pt

Facebook



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D