Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Este é outro percurso da região de Alvor, próximo de Portimão. Alvor era uma pequena aldeia piscatória que sofreu, tal como muitos locais do Algarve, uma densa "colonização" por gente à procura de praia...

Felizmente, Alvor é muito mais do que praias. Existe uma pequena ria, a Ria de Alvor, que é um belo local para passear. Foi o que fiz através deste percurso pedestre.


O PR2 - Ao sabor da maré - é um pequeno passeio de cerca de 6 km que se divide entre a praia e o sapal da Ria de Alvor.

O mesmo inicia-se na zona ribeirinha de Alvor, um local agradável que proporciona um cenário muito agradável para relaxar e óptimo para fotografar.

Segue ao longo da zona dos pequenos armazéns de pesca...


 ... onde existe mais um painel informativo. A partir daqui podemos seguir pelo sapal ou seguir em direcção à praia, visto que o trajecto é circular.

Decidi seguir em direcção à praia pelo caminho que passa junto ao campo de futebol.

Bem perto estão a decorrer obras de terraplanagem. Não sei qual é o objectivo das mesmas, só espero que não seja para destruir mais uma zona natural do Algarve.

Em vez de seguir até ao areal da praia, segui pelo caminho até chegar quase ao paredão da barra da Ria de Alvor...

... onde vários praticantes de kyte-surf se divertiam, aproveitando o vento e a maré baixa.

O cenário é sem dúvida muito agradável, e ver o céu colorido com os "kytes" não deixa de ser engraçado.

Segui então pelo paredão da barra da Ria de Alvor...

... onde este barco estava parado, provavelmente em trabalhos de desassoreamento.

A vista para o areal da praia era esta. O dia, apesar do sol agradável, não estava para "fazer praia" devido ao vento intenso, já habitual por cá.

A zona do pequeno farol na ponta do paredão faz as delícias dos pescadores amadores.

Regressei ao início do paredão e segui então em direcção à Ria e à zona do sapal onde encontrei este caminho.

A vista para a Quinta da Rocha faz lembrar os pequenos refúgios dos milionários no Mediterrâneo.

Um painel informativo num estado precário de conservação retrata bem a atenção dada a este percurso. Como o que dá dinheiro por estas bandas são as praias, parece que ninguém quer saber do estado de conservação deste PR. O mesmo está muito mal sinalizado, não existindo placas de sinalética ao longo do mesmo a não ser na zona junto à zona ribeirinha e dos armazéns de pesca, que representam talvez 1/10 do percurso. Não há propriamente um caminho marcado, restando-nos apenas seguir mais ou menos pelas orientações do mapa.

Mais uma perspectiva da Ria, já no regresso à zona dos armazéns de pesca...

... por este pequeno trilho.

Aqui, a vegetação nem permite chegar junto do painel informativo. Uma pena...

Este pequeno percurso, apesar de pouco estimado, é bastante agradável para quem gosta mais de passear do que passar o tempo a "fritar" na praia. Faz-se com relativa facilidade e proporciona belas vistas sobre a área da ria.

Podem encontrar mais informações deste percurso num livro publicado pela Região de Turismo do Algarve, cuja versão em PDF poderão encontrar aqui.

Boas caminhadas

Darasola

Autoria e outros dados (tags, etc)

Alvor [Portimão] - PR1 Rocha Delicada

por darasola, em 19.05.09

Decidi conhecer um pouco melhor os percursos pedestres da zona de Portimão, então aventurei-me pelo PR1 da Rocha Delicada em Alvor.

O percurso é circular, começando e acabando na estação de comboio da Mexilhoeira Grande. Para lá chegar, basta seguir as indicações existentes na E.N. 125, ou então, simplesmente apanhar o comboio e sair nesta estação, sendo esta opção muito mais ecológica.

Na zona do cais da estação, existe um painel informativo com as informações e mapas de dois percursos.

o PR1 com aproximadamente 8 km e o PR4, com 25 km, já mais dedicado ao BTT.

O mapa do percurso de hoje entre a Mexilhoeira Grande e a Quinta da Rocha.

O cais de embarque deserto ao final da tarde.

O percurso segue na direcção de Lagos, do outro lado da linha de comboio...

... em direcção à Ria de Alvor.

Pelo percurso passa-se por várias zonas de campos agrícolas com vinha, citrinos e pastagens. Na foto, um campo de papoilas.

Depois de passar junto a uma zona de piscicultura, o percurso continua pelo estradão agrícola até chegar a um entroncamento por onde segui sempre em frente...

... até chegar junto à Ria de Alvor, onde existe mais um painel informativo sobre o percurso.

Percorre-se então uma zona de sapal...

... que proporciona belas perspectivas sobre a Ria de Alvor, no momento com maré baixa.

O percurso efectua um "quadrado", virando para Leste, regressando ao entroncamento anterior.

A paisagem da Ria com a Serra de Monchique em pano de fundo.

O local é um pequeno paraíso para "birdwatching", pois é possível avistar várias espécies de aves cujo habitat é o sapal, e que aproveitam as migrações para marcar presença por cá.

A vista para a pequena ponte azul da linha de comboio sobre a Ribeira de Odiáxere.

Antes de chegar ao entroncamento, estavam a gravar uma entrevista, provavelmente sobre uma notícia ambiental relacionada com este pequeno paraíso sempre ameaçado.

O referido entroncamento. A vinda da estação foi pela esquerda, agora o regresso é pela direita.

Sempre pelo estradão de terra batida e junto à propriedade da Quinta da Rocha.

Num cruzamento, a sinalização dá mais uma informação útil embora não haja que enganar: é sempre em frente...

... até chegar à linha de comboio. Aí, vira-se para a direita seguindo a linha novamente até à estação de comboios.

Onde cheguei a tempo de ver o comboio passar.

Um pequeno percurso muito simpático, embora sem o encanto dos pequenos trilhos de que tanto gosto. É um percurso relativamente fácil, muito bom para quem se inicia ou não tem grande prática da modalidade.

Podem encontrar mais informações deste percurso num livro publicado pela Região de Turismo do Algarve, cuja versão em PDF poderão encontrar aqui.

Boas caminhadas

Darasola

Autoria e outros dados (tags, etc)



Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Instagram


Siga o darasola no Instagram

Instagram

Copyrights

A reprodução de todo ou qualquer texto, fotografia ou conteúdo é expressamente PROIBIDA sem autorização por escrito do autor. A reprodução não autorizada é punida por lei. O eventual uso de conteúdos deste blog deve ser SEMPRE acompanhado da referência ao mesmo (de preferência com link). Para contacto: dar.a.sola@sapo.pt

Facebook



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D