Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Ilha das Berlengas - Trilho da ilha velha

por darasola, em 20.11.11

Situada a noroeste do cabo carvoeiro, a Reserva Natural das Berlengas abrange o arquipélago das Berlengas e os ilhotes das estrelas e Farilhões/Forcada, bem como a zona marítima envolvente.

São conhecidas pela qualidade das suas águas para a prática de mergulho e como zona de nidificação de aves marítimas por excelência ou ainda como ponto de passagem de aves migradoras.

Vista aérea da ilhaBerlengas_mapa

Mapa

A viagem iniciou-se no porto de Peniche onde embarcámos em direção à ilha.

A vista para o forte de Peniche, uma antiga prisão política, onde Álvaro Cunhal esteve preso e de onde conseguiu escapar a nado.

A vista para o Cabo Carvoeiro e o seu farol.

A chegada à enseada que serve de porto das Berlengas. É a única zona habitacional da ilha, onde existe um bairro de pescadores, um restaurante e algumas estruturas de apoio (posto da cruz vermelha, etc.)

Painel informativo da reserva natural das Berlengas.

A viagem faz-se a bordo do navio Cabo Avelar Pessoa, que faz duas vezes ao dia a ligação entre a ilha e o continente. Para além do transporte de passageiros, faz igualmente o transporte de mercadorias.

O acesso à ilha faz-se por esta íngreme subida até ao planalto.

Olhando para trás, a perspectiva sobre o porto.

Nessa mesma subida, surge pela direita o início do trilho da "ilha velha", um pequeno percurso com cerca de 1,5 km.

Saindo do caminho cimentado, o percurso passa a ser na sua totalidade por um carreiro estreito e com pedras soltas, algo traiçoeiro nas descidas e pouco aconselhado a calçado de verão.

A vista para os ilhéus à volta, as Estelas.

E outros ainda: os Farilhões.

A vista para Este, onde se pode avistar o continente e o cabo Carvoeiro.

Uma estranha estrutura, possivelmente algo relacionado com um antigo instrumento de navegação.

Ao longo do percurso surgem estas placa com os nomes referentes a cada um dos pontos de pesca ali existentes. O acesso é reservado apenas a pescadores autorizados para proteger o espaço de nidificação das aves.

A continuação do trilho.

Acesso ao ponto das Figueiras.

Pouco a pouco o trilho dá a volta e segue em direção ao ponto de partida. A aves, especialmente as gaivotas, são uma presença constante e os seus gritos são quase ensurdecedores.

Uma gaivota gigante? Ou um anão?

Acesso ao ponto do Capitão.

Já se avistava o caminho de partida. A volta é rápida e já estávamos quase de regresso.

A vista para a enseada do porto da ilha.

Já de regresso ao ponto de partida.

Daqui seguimos subindo até ao planalto onde continuámos a percorrer o resto da ilha no Trilho da Berlenga.

Podem encontrar o percurso todo das Berlengas na conta wikiloc do darasola.

Autoria e outros dados (tags, etc)

O KM vertical

por darasola, em 10.11.11

Foi através do Facebook que tive notícias sobre uma modalidade que desconhecia: o Km vertical. O post em questão ligava a um vídeo onde podia ver a prova existente na Suíça, onde um grupo de atletas tentava vencer um desnível de 1 km vertical (ascensão de 1000 m) ao longo de um percurso com 1,9 km de distância. As imagens são impressionantes e por isso não quero deixar de partilhar.

Depois de uma pequena pesquisa no google, verifiquei que existe uma prova semelhante na ilha da Madeira: o km vertical do Fanal (Funchal), organizado pelo Clube Aventura da Madeira.
Deixo o vídeo da prova nacional.
Há menos gente presente, o que facilmente se entende por não ser (falo por mim) algo tão amplamente conhecido como será provavelmente na Suíça, mas as paisagens da Madeira são excelente.
Boas subidas...
darasola

Autoria e outros dados (tags, etc)

Pág. 1/2



Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Instagram


Siga o darasola no Instagram

Instagram

Copyrights

A reprodução de todo ou qualquer texto, fotografia ou conteúdo é expressamente PROIBIDA sem autorização por escrito do autor. A reprodução não autorizada é punida por lei. O eventual uso de conteúdos deste blog deve ser SEMPRE acompanhado da referência ao mesmo (de preferência com link). Para contacto: dar.a.sola@sapo.pt

Facebook



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D