Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Foi inaugurado já em Fevereiro o primeiro percurso pedestre de Vila Nova de Gaia e o darasola não podia deixar de estar presente. Embora já tenha encontrado o esboço de outro PR não oficial na zona de Canelas, este foi algo mais pensado e estruturado. Este percurso linear segue o percurso do rio Febros, inicia-se nas traseiras do Parque Biológico de Gaia e termina junto ao cais de Esteiros (ou vice-versa), o que implica ter sempre o regresso pelo mesmo caminho ou um transporte de recurso. O dia da inauguração não foi o ideal visto que tinha chovido bastante durante a noite o que tornou o terreno escorregadio e ainda valeu algumas quedas, e também choveu durante parte do percurso. O trilho leva-nos a descobrir o outro lado da cidade, um parte de Vila Nova de Gaia, onde as vivências rurais de antigamente ainda são visíveis, com lavadouros e caminhos com décadas de história. As placas de marcação pareceram-me pouco resistentes visto que eram aparentemente com plástico colado em madeira e temo que não durem muito. É óbvio que este não é um percurso de grande beleza, pois passámos por zonas urbanas sem regras aparentes de planeamento urbano e com bastante lixo, mas vale pela descoberta de uma Gaia antiga, com ruela, pontes e caminhos antigos.  De qualquer forma, dou o mérito à associação que teve a ideia de delinear este trilho, que é uma opção interessante para quem gosta de fazer a sua caminhada diária, mesmo na cidade.

Ficam as fotos:

VNG_Rio_Febros_01.JPG

Painel no ponto de partida, nas traseiras do Parque biológico de Gaia.

VNG_Rio_Febros_02.JPG

O grupo sob a chuvinha que brindou a inauguração.

VNG_Rio_Febros_03.JPG

As ditas placas de sinalética.

VNG_Rio_Febros_04.JPG

Avintes é famosa pela sua broa.

VNG_Rio_Febros_05.JPG

VNG_Rio_Febros_06.JPG

Por entre caminhos antigos.

VNG_Rio_Febros_07.JPG

VNG_Rio_Febros_08.JPG

VNG_Rio_Febros_09.JPG

Por calçadas de outros tempos.

VNG_Rio_Febros_10.JPG

Um moinho sobre o rio Febros.

VNG_Rio_Febros_11.JPG

Fomos atravessando o rio por pequenas pontes, aqui e ali.

VNG_Rio_Febros_12.JPG

 

VNG_Rio_Febros_13.JPG

VNG_Rio_Febros_14.JPG

VNG_Rio_Febros_15.JPG

A qualidade das águas é que não é a melhor.

VNG_Rio_Febros_16.JPG

Mais uma passagem sobre o rio.

VNG_Rio_Febros_17.JPG

VNG_Rio_Febros_18.JPG

VNG_Rio_Febros_19.JPG

VNG_Rio_Febros_20.JPG

VNG_Rio_Febros_21.JPG

Um imponente edifício que seria provavelmente uma antiga fábrica (de tecidos? de papel?)

VNG_Rio_Febros_22.JPG

Via sacra.

VNG_Rio_Febros_23.JPG

A descida íngreme até ao rio. Ainda houve algumas escorregadelas e quedas.

VNG_Rio_Febros_24.JPG

O rio parece aqui um rua.

VNG_Rio_Febros_25.JPG

Mais uma ponte antiga.

VNG_Rio_Febros_26.JPG

VNG_Rio_Febros_27.JPG

VNG_Rio_Febros_28.JPG

VNG_Rio_Febros_29.JPG

VNG_Rio_Febros_30.JPG

Uma zona de confluência de linhas de água.

VNG_Rio_Febros_31.JPG

Um antigo lavadouro.

VNG_Rio_Febros_32.JPG

VNG_Rio_Febros_33.JPG

Passando pelo túnel

VNG_Rio_Febros_34.JPG

VNG_Rio_Febros_35.JPG

Já perto do final, na calçada de acesso ao cais.

VNG_Rio_Febros_36.JPG

Painel junto ao final

VNG_Rio_Febros_37.JPG

O painel e a zona do final do percurso.

VNG_Rio_Febros_38.JPG

VNG_Rio_Febros_39.JPG

Chegada ao Douro, escondido num manto de nevoeiro.

VNG_Rio_Febros_40.JPG

A vista era esta. Não era a melhor, mas tinha uma aura de sebastianismo.

 

Ficha técnica: 

Distância: cerca de 4.5 km

Tempo: 1h30 (com paragens)

Tipo: linear

Dureza física: 1/5

Dificuldade técnica: 1/5

Beleza do Percurso: 2/5

Marcação: 4/5

Informações sobre o percurso: n/a

Outros sites de relevo: n/a

Panfleto oficial: n/a

Trilho GPX: Wikiloc darasola

Ponto positivos: Vila Nova de Gaia rural, os caminhos antigos, o rio Frebros

Pontos negativos: percurso sem grandes pontos de interesse, algum lixo

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Mata do Bussaco

por darasola, em 09.07.15

Depois da caminhada da Rota dos Moinhos do Bussaco de Penacova, nada como dar um saltinho até à Mata do Bussaco (ou Buçaco como se vê em alguns lados) para percorrer esta bela mata. Para poupar as hostes já cansadas depois da caminhada matinal, o percurso foi sempre a descer, começando na cruz alta até ao Palácio. Ainda estão bem visíveis os estragos causados pelo mau tempo do inverno de há dois anos, com muitas árvores partidas. A mata ainda tem o seu encanto, mas está visivelmente a precisar de uma profunda intervenção. Os vários edifícios que existem ao longo da via sacra estão bastante danificados, mas não deixam de ter o seu encanto. A cereja no topo do bolo é mesmo o fantástico edifício do Palácio do Bussaco, de estilo neomanuelino. Ficam as fotos.

Mata_Bucaco_01.JPG

Entrada na mata

Mata_Bucaco_02.JPG

Mata_Bucaco_03.JPG

Subida à cruz alta.

Mata_Bucaco_04.JPG

A vista lá do alto.

Mata_Bucaco_05.JPG

A cruz.

Mata_Bucaco_06.JPG

Embrenhando-nos no meio da vegetação.

Mata_Bucaco_07.JPG

Mata_Bucaco_08.JPG

Vista sobre o Palácio do Bussaco.

Mata_Bucaco_09.JPG

Mata_Bucaco_10.JPG

Mata_Bucaco_11.JPG

Casario construído dentro da mata.

Mata_Bucaco_12.JPG

Vestígios do temporal.

Mata_Bucaco_13.JPG

As estátuas sem cabeça.

Mata_Bucaco_14.JPG

Algumas construções são mesmo interessantes.

Mata_Bucaco_15.JPG

Mata_Bucaco_16.JPG

Mata_Bucaco_17.JPG

Mata_Bucaco_18.JPG

Zizagueando sempre a descer.

Mata_Bucaco_19.JPG

Mata_Bucaco_20.JPG

Mata_Bucaco_21.JPG

Mata_Bucaco_22.JPG

Mata_Bucaco_23.JPG

Mata_Bucaco_24.JPG

Mata_Bucaco_25.JPG

Chegada à zona do palácio.

Mata_Bucaco_26.JPG

O jardim do palácio.

Mata_Bucaco_27.JPG

Mata_Bucaco_28.JPG

O edifício é lindíssimo.

Mata_Bucaco_29.JPG

Mata_Bucaco_30.JPG

O Mostrengo dos Lusíadas.

Mata_Bucaco_31.JPG

Mata_Bucaco_32.JPG

Mata_Bucaco_33.JPG

Mata_Bucaco_34.JPG

Mata_Bucaco_35.JPG

Mata_Bucaco_36.JPG

Mata_Bucaco_37.JPG

Fetos arbóreos.

Mata_Bucaco_38.JPG

Mata_Bucaco_39.JPG

Mata_Bucaco_40.JPG

Mata_Bucaco_41.JPG

Mata_Bucaco_42.JPG

Mata_Bucaco_43.JPG

Ainda deu para dar um salto à fonte da nascente da água de Luso

Mata_Bucaco_44.JPG

A fonte onde toda a gente se serve.

Boas caminhadas

darasola

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Instagram


Siga o darasola no Instagram

Instagram

Copyrights

A reprodução de todo ou qualquer texto, fotografia ou conteúdo é expressamente PROIBIDA sem autorização por escrito do autor. A reprodução não autorizada é punida por lei. O eventual uso de conteúdos deste blog deve ser SEMPRE acompanhado da referência ao mesmo (de preferência com link). Para contacto: dar.a.sola@sapo.pt

Facebook



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D