Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



No passado dia 26 de outubro, o município de Arouca alargou a sua vasta oferta pedestrianista ao inaugurar o PR10 - Rota dos Aromas, com início na localidade de Espiunca. Idealizado por uma associação cultural local, este percurso liga as aldeias de Espiunca, Serabigões e Vila Cova. O panfleto sugere que se inicie nesta última aldeia, no entanto, por uma questão prática, a organização decidiu iniciar o percurso na Espiunca, onde se reuniu um grupo de cerca de 300 amantes de caminhadas, o que prova que Arouca é, sem sombra de dúvidas, um excelente local para caminhar. O trilho segue por um misto de percursos florestais, rurais e estradas secundárias, ladeia o ri oPaiva e leva-nos a contactar com várias plantas aromáticas e medicinais, que acabam por dar nome a este trilho. Algumas das aldeias visitadas ainda possuem pontos de interesse como os moinhos de linho (Espiunca) e o núcleo de xisto das casas de Sarabigões, junto à capela de Nª Srª dos Enfermos. Uma nota também para a passagem de um ribeiro antes de Vila Cova com uma ponte em madeira, que, pela sua envolvência, foi um dos locais mais agradáveis do percurso. A organização brindou os presentes com o habitual mata-bicho (aguardente com mel) acompanhado de broa com mel. Ainda foi possível provar chá de várias ervas aromáticas como urtiga, carqueja, alecrim, barbas de milho, ... e no final: porco no espeto para todos! Uma manhã bem passada, sem dúvida!

 

Discurso de boas vindas do presidente da Câmara de Arouca aos participantes.

Igreja de Espiunca, no largo da qual se reuniram os participantes.

Direção Sarabigões.

O moinho de linho recuperado em Espiunca.

O aspeto do seu interior.

Um detalhe.

Para lá dos campos, o rio Paiva corria com força.

 

Perspetiva sobre o rio a montante...

... e a jusante.

Um mar de caminhantes!

Início da subida.

Na chegada a Sarabigões.

O grupo diante do adro da capela da N. Srª dos Enfermos.

A comissão de boas vindas!

Abandonando Sarabigões entre as casas de xisto.

Algumas construções em xisto bem interessantes.

Cruzeiro à saída da aldeia.

Pelo caminho, encontramos esta vala aberta. Pelas explicações que me foram dadas, a mesma foi aberta depois do percurso ter sido traçado e, apesar dos avisos, os responsáveis não cobriram os canos que ali passam. Certamente que esta situação será posteriormente resolvida.

O trilho na encosta da serra.

Descida em escada, nada fácil para os amigos de quatro patas.

A travessia de um ribeiro numa ponte de madeira.

Cenários rurais I.

Cenários rurais II.

Paragem para prova de chá.

A paisagem com a serra do Montemuro no horizonte.

Iniciámos então a descida para Espiunca.

Mais uma paragem para chá de alecrim e flor de laranjeira.

Escola básica de Melres.

Regresso ao ponto de partida, onde o porco no espeto aguardava os mais famintos.

 

Ficha técnica: 

Distância: cerca de 11 km

Tempo: 3h (+/-)

Tipo: circular

Dureza física:

Dificuldade técnica

Beleza do Percurso:

Marcação

Informações sobre o percurso: n/a

Outros sites de relevo: www.cm-arouca.pt

Panfleto oficial: Não disponível

Trilho GPX: wikiloc darasola

Ponto positivos: as aldeias e as suas paisagens, núcleo de xisto em Sarabigões, o vale do Paiva.

Pontos negativos: poucos pontos de interesse

Autoria e outros dados (tags, etc)


1 comentário

Sem imagem de perfil

De Paulo Azevedo a 08.12.2013 às 22:20

Boa noite,
Este percurso não tem desdobrável disponível porque está em manutenção entre Espiunca e Serabigões (informação do Município). Está previsto o fim da alteração da sinalética perto do fim deste mês, sendo que nessa altura será disponibilizado o desdobrável.
Como vejo neste campo o Município de Arouca entre os que cumprem, interessam-se e respondem, estou em crer que a breve trecho teremos essa informação.
Boas caminhadas
P. Azevedo

Comentar post



Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Instagram


Siga o darasola no Instagram

Instagram

Copyrights

A reprodução de todo ou qualquer texto, fotografia ou conteúdo é expressamente PROIBIDA sem autorização por escrito do autor. A reprodução não autorizada é punida por lei. O eventual uso de conteúdos deste blog deve ser SEMPRE acompanhado da referência ao mesmo (de preferência com link). Para contacto: dar.a.sola@sapo.pt

Facebook



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D