Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


O percurso dos sete vales suspensos não era totalmente desconhecido para mim, pois já há uns anos atrás tinha percorrido a zona das falésias de Lagoa e já na altura tinha gostado muito da paisagem. Na altura, percorri o litoral entre o Farol de Alfanzina até à capela da Sra da Rocha. O percurso pedrestre marcado que entretanto foi criado liga a praia de Vale Centianes à praia da Marinha, esta última é uma das mais belas praias do Algarve. O percurso segue a linha da costa do alto das falésias e vai cruzando linhas de água, que se despenham diretamente no mar, criando os "vales suspensos" que dão nome ao percurso.

O percurso tem menos de 6 km, mas deslumbra a cada ponto do sobe e desce que leva a cada vale. A vista para a vertigem azul é constante, a vegetação é tipicamente algarvia, com pinheiros e arbustos perfumados. O trilho está bem marcado e foram construídos mobiliário de apoio como bancos e zona de merendas.

Aparecem alguns pontos de interesse especial ao longo do trilho como o farol de Alfanzina, o algar de Benagil, o leixão do ladrão, a praia do Carvalho, a praia de Benagil e a praia da Marinha. 

Vales_suspensos_01.jpg

O início do trilho

Vales_suspensos_02.jpg

Painel informativo

Vales_suspensos_03.jpg

Os arbustos são a vegetação predominante na zona das falésias.

Vales_suspensos_04.jpg

Painel informativo sobre as arribas e a sua flora.

Vales_suspensos_05.jpg

Até existem uns bancos virados para o vale para descansar e apreciar a beleza da paisagem.

Vales_suspensos_06.jpg

Foram criadas estas estruturas em cada vale suspenso. Suponho que terá sido para a segurança, para que não se aceda a áreas de risco.

Vales_suspensos_07.jpg

Um dos vales suspensos.

Vales_suspensos_08.jpg

Seguindo junto à falésia sobre a imensidão azul.

Vales_suspensos_09.jpg

A vista para trás.

Vales_suspensos_10.jpg

Painel informativo sobre os algares e a sua formação.

Vales_suspensos_11.jpg

Chegada ao farol de Alfanzina, onde tinha começado a caminhada em 2007.

Vales_suspensos_12.jpg

Vales_suspensos_13.jpg

A vista sobre uma pequena enseada, sem outro acesso a não ser por mar.

Vales_suspensos_14.jpg

Existe uma área de merendas junto ao percurso.

Vales_suspensos_15.jpg

Vales_suspensos_16.jpg

Painel informativo sobre o cabo Carvoeiro.

Vales_suspensos_17.jpg

Vales_suspensos_18.jpg

Vista para o Leixão dos ladrões.

Vales_suspensos_19.jpg

Vales_suspensos_20.jpg

Painel informativo sobre o leixão.

Vales_suspensos_21.jpg

Mais uma zona de repouso.

Vales_suspensos_22.jpg

Uma vista impressionante para uma caverna natural na falésia, no topo da qual foi construída uma residência.

Vales_suspensos_23.jpg

Vista para a praia do Carvalho.

Vales_suspensos_24.jpg

 

Vales_suspensos_25.jpg

A particularidade desta praia é o facto de ter sido escavado uma escadaria de acesso à praia por um túnel na rocha.

Vales_suspensos_26.jpg

Vales_suspensos_27.jpg

A entrada do túnel de acesso à praia.

Vales_suspensos_28.jpg

Lá ao fundo, o areal da praia.

Vales_suspensos_29.jpg

A vista fantástica para a praia de Benagil.

Vales_suspensos_30.jpg

Vales_suspensos_31.jpg

A entrada superior do algar de Benagil, um local único.

Vales_suspensos_32.jpg

Painel informativo sobre os tomilhais, que formam verdadeiros tapetes perfumados.

Vales_suspensos_33.jpg

Mais um algar rodeado por barreiras de segurança.

Vales_suspensos_34.jpg

Painel informativo sobre os matagais de zimbro.

Vales_suspensos_35.jpg

O zimbro.

Vales_suspensos_36.jpg

Vista para a praia da Marinha e as suas curiosas formações rochosas.

 Vales_suspensos_37.jpg

As falésias foram esculpidas pela erosão.

Vales_suspensos_38.jpg

A praia com os seus leixões que parecem velas de navios.

Vales_suspensos_39.jpg

Vales_suspensos_40.jpg

Painel sobre as geoformas da praia.

Vales_suspensos_41.jpg

A vista para o areal onde termina o percurso.

Ficha técnica: 

Distância: cerca de 5.7 km (o dobro se fizer ida e volta)

Tempo:  2h (+/- com paragens para fotos e almoço)

Tipo: linear

Dureza física: 2/5

Dificuldade técnica: 2/5

Beleza do Percurso: 5/5

Marcação: 5/5 (em caso de dúvidas basta seguir a linha da costa)

Informações sobre o percurso: n/a

Outros sites de relevo: n/a

Panfleto oficial: aqui

Trilho GPX: n/a

Ponto positivos: a beleza das falésias e praias algarvias

Pontos negativos: n/a

Autoria e outros dados (tags, etc)

Desta vez foi uma caminhada pela costa de Lagoa, desde o Farol de Alfanzina (próximo da localidade de Carvoeiro)

O Farol, pelo que me foi dito, é agora uma farol automatizado. Pois é, até os faroleiros são uma espécie em vias de extinção...

A vegetação e o farol.

Próximo do farol e ao longo de toda a costa do concelho de Lagoa existem os "Algares" que são literalmente poços naturais que surgem do facto das rochas serem extremamente fracturadas o que permite que as águas se infiltrem rapidamente. O desgaste assim criado origina um poço de comunicação entre a superfície e galerias e grutas subterrâneas, o que cria uma paisagem típica denominada paisagem "cársica". 

Que tal? Gostaram da lição de geologia? ;-)

Esta perspectiva permite observar as dimensões deste algar comparando-o com o farol.

Lá pontinha da falésia, aquele pontinho é um pescador!

Já do outro lado da enseada, com o farol ainda à vista.

Mais uma... Acho estas imagens espectaculares, não resisti... Tive de colocar várias!

Aquela rocha que parece uma ilha mas não é chama-se o leirão do ladrão.

Mais um algar. Na imagem, logo acima do "OGS" da marca de água é o mar que comunica com o poço. Assim sendo, as pessoas passam em cima de uma ponte natural.

A água estava a convidar!

Esta casa está construída mesmo em cima da gruta. Um bom exemplo do ordenamento da costa portuguesa e algarvia. Qualquer dia aparece o dono no telejornal da TVI a lamentar-se "Estava na casa de banho e puxei o autoclismo, e não é que toda a casa foi junto!?!!?"

A praia do Carvalho. O acesso à praia faz-se por um túnel escavado na rocha. Na foto é possível observar a saída na praia.

O túnel de acesso à praia.

Uma caravela passeando os turistas.

A vantagem é que permite ancorar o barco junto a uma praia sem outro acesso a não ser por mar e ir para a praia no bote. Uma excelente maneira de gozar uma praia "só p'ra mim"!

As paisagens típicas daqueles postais de verão da costa do Algarve.

Mais uma praia espectacular! Sem ninguém! Ninguém mesmo!!!!

As rochas do litoral estão cheias de conchas incrustadas.

Chegada à freguesia de Porches. Pena que o meu ficou na garagem!

Mais uns privilegiados a passear de barco nesses sítios fantásticos.

A praia de Albandeira.

Digam lá: não parece um rebocador? Ou será um submarino? O que acham? Podem dizer da vossa justiça com um comentários no post.

Naquele promontório, fica a Srª da Rocha, o final da caminhada.

Adiante tive de percorrer uma zona onde perdi o trilho e foi necessário atravessar uma zona com vegetação densa, mas com alguns pormenores de rara beleza.

A capela da Srªa da Rocha. O calor era muito (muito mesmo) e a minha água tinha acabado.

Apetecia mesmo era ir para a água.

Gráfico de altimetria. Isto engana, parece ter muitos desníveis mas não é. A gráfico vai dos 0 aos 45 metros.

A carta militar com o percurso.

Boas caminhadas

Darasola

Autoria e outros dados (tags, etc)


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Instagram


Siga o darasola no Instagram

Instagram

Copyrights

A reprodução de todo ou qualquer texto, fotografia ou conteúdo é expressamente PROIBIDA sem autorização por escrito do autor. A reprodução não autorizada é punida por lei. O eventual uso de conteúdos deste blog deve ser SEMPRE acompanhado da referência ao mesmo (de preferência com link). Para contacto: dar.a.sola@sapo.pt

Facebook



Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2006
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D