Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Foi inaugurado já em Fevereiro o primeiro percurso pedestre de Vila Nova de Gaia e o darasola não podia deixar de estar presente. Embora já tenha encontrado o esboço de outro PR não oficial na zona de Canelas, este foi algo mais pensado e estruturado. Este percurso linear segue o percurso do rio Febros, inicia-se nas traseiras do Parque Biológico de Gaia e termina junto ao cais de Esteiros (ou vice-versa), o que implica ter sempre o regresso pelo mesmo caminho ou um transporte de recurso. O dia da inauguração não foi o ideal visto que tinha chovido bastante durante a noite o que tornou o terreno escorregadio e ainda valeu algumas quedas, e também choveu durante parte do percurso. O trilho leva-nos a descobrir o outro lado da cidade, um parte de Vila Nova de Gaia, onde as vivências rurais de antigamente ainda são visíveis, com lavadouros e caminhos com décadas de história. As placas de marcação pareceram-me pouco resistentes visto que eram aparentemente com plástico colado em madeira e temo que não durem muito. É óbvio que este não é um percurso de grande beleza, pois passámos por zonas urbanas sem regras aparentes de planeamento urbano e com bastante lixo, mas vale pela descoberta de uma Gaia antiga, com ruela, pontes e caminhos antigos.  De qualquer forma, dou o mérito à associação que teve a ideia de delinear este trilho, que é uma opção interessante para quem gosta de fazer a sua caminhada diária, mesmo na cidade.

Ficam as fotos:

VNG_Rio_Febros_01.JPG

Painel no ponto de partida, nas traseiras do Parque biológico de Gaia.

VNG_Rio_Febros_02.JPG

O grupo sob a chuvinha que brindou a inauguração.

VNG_Rio_Febros_03.JPG

As ditas placas de sinalética.

VNG_Rio_Febros_04.JPG

Avintes é famosa pela sua broa.

VNG_Rio_Febros_05.JPG

VNG_Rio_Febros_06.JPG

Por entre caminhos antigos.

VNG_Rio_Febros_07.JPG

VNG_Rio_Febros_08.JPG

VNG_Rio_Febros_09.JPG

Por calçadas de outros tempos.

VNG_Rio_Febros_10.JPG

Um moinho sobre o rio Febros.

VNG_Rio_Febros_11.JPG

Fomos atravessando o rio por pequenas pontes, aqui e ali.

VNG_Rio_Febros_12.JPG

 

VNG_Rio_Febros_13.JPG

VNG_Rio_Febros_14.JPG

VNG_Rio_Febros_15.JPG

A qualidade das águas é que não é a melhor.

VNG_Rio_Febros_16.JPG

Mais uma passagem sobre o rio.

VNG_Rio_Febros_17.JPG

VNG_Rio_Febros_18.JPG

VNG_Rio_Febros_19.JPG

VNG_Rio_Febros_20.JPG

VNG_Rio_Febros_21.JPG

Um imponente edifício que seria provavelmente uma antiga fábrica (de tecidos? de papel?)

VNG_Rio_Febros_22.JPG

Via sacra.

VNG_Rio_Febros_23.JPG

A descida íngreme até ao rio. Ainda houve algumas escorregadelas e quedas.

VNG_Rio_Febros_24.JPG

O rio parece aqui um rua.

VNG_Rio_Febros_25.JPG

Mais uma ponte antiga.

VNG_Rio_Febros_26.JPG

VNG_Rio_Febros_27.JPG

VNG_Rio_Febros_28.JPG

VNG_Rio_Febros_29.JPG

VNG_Rio_Febros_30.JPG

Uma zona de confluência de linhas de água.

VNG_Rio_Febros_31.JPG

Um antigo lavadouro.

VNG_Rio_Febros_32.JPG

VNG_Rio_Febros_33.JPG

Passando pelo túnel

VNG_Rio_Febros_34.JPG

VNG_Rio_Febros_35.JPG

Já perto do final, na calçada de acesso ao cais.

VNG_Rio_Febros_36.JPG

Painel junto ao final

VNG_Rio_Febros_37.JPG

O painel e a zona do final do percurso.

VNG_Rio_Febros_38.JPG

VNG_Rio_Febros_39.JPG

Chegada ao Douro, escondido num manto de nevoeiro.

VNG_Rio_Febros_40.JPG

A vista era esta. Não era a melhor, mas tinha uma aura de sebastianismo.

 

Ficha técnica: 

Distância: cerca de 4.5 km

Tempo: 1h30 (com paragens)

Tipo: linear

Dureza física: 1/5

Dificuldade técnica: 1/5

Beleza do Percurso: 2/5

Marcação: 4/5

Informações sobre o percurso: n/a

Outros sites de relevo: n/a

Panfleto oficial: n/a

Trilho GPX: Wikiloc darasola

Ponto positivos: Vila Nova de Gaia rural, os caminhos antigos, o rio Frebros

Pontos negativos: percurso sem grandes pontos de interesse, algum lixo

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Continuando com as caminhadas citadinas, aproveitei uma tarde tranquila de domingo para percorrer a zona antiga de Gaia e das caves do Vinho do Porto. Um pouco ao acaso fui à descoberta das ruelas, becos e escadarias típicas, onde o tempo parece passar mais devagar. Acabei por andar cerca de 12 km, do qual deixo o registo fotográfico.

O homem da capa negra

Pela rua do Barão de Forester...

... que nos leva a esta antiga calçada. Parece que voltámos aos princípios do Sec. XIX.

A calçada continua junto aos armazéns.

Entre muros.

Chegada às caves Croft

Capela junto às caves Croft

A vista para a Serra do Pilar e o seu mosteiro.

O palacete junto ao mesmo local

Passando na rua da Barroca com o seu peculiar arco

O dito arco

Teleférico de Gaia e lavadouro público

Junto à ponte D. Luís

É sempre uma obra impressionante e agradável para admirar

Perspetiva pelas escadas da Guarda

Rua dos Santos Mártires e acesso ao cais de Gaia

Capela de N. Srª da Piedade

Edifícios das Caves Sandeman

Junto à porta de entrada do edifício é possível ver as várias marcas do nível das águas nas diversas cheias do Douro.

É impressionante ver até onde sobem!

Edifício do centro multimédia Gran Cruz da Porto Cruz

Rua Guilherme Braga

Igreja de Santa Marinha

Pela calçada da rua Costa Santos

Uma pequena escadaria pitoresca

a do Campanário

Um portão para outro edifício da Sandeman

Passagem pelo cais de Gaia e pelo seu teleférico

Diante do Mercado municipal da beira-rio

Entrada do Convento de Corpus Christi (ou S. Domingo das Donas)

O monumento diante da entrada em memória de Alves Anes de Cernache e da sua participação na batalha de Aljubarrota.

Na parte interior do convento

Passagem pelas Caves Ferreira

Pelouro na rotunda ao fundo da rua do rei Ramiro

Estaleiro dos rabelos, os barcos típicos do rio Douro

outra perspetiva

A vista para o rio Douro e as pontes que unem Porto e Gaia

Mais uma escadaria antiga até à rua da Fonte Nova

Uma vista inusitada sobre o Douro e o Porto

Seguindo pela referida rua entre muros e com o rio à vista

Descida até ao cais da Fontainha para apreciar este monumento religioso

Subindo pelas escadas da Boa passagem

mais calçadas antigas, junto à fonte da N. Srª da Bonança.

Capela de Nossa Senhora da Bonança ou do Bom Jesus de Gaia

Seguindo pela rua do Castelo até ao alto onde terá existido, em tempo, o castelo de Gaia.

O local do alto do castelo de Gaia está agora inacessível, mas há um ou dois anos atrás tive oportunidade de visitá-lo e gostei imenso das vistas que se tem lá do alto. Fui por isso ao baú para procurar as fotos dessa altura que partilho aqui com todos os que lêem este blog. No entanto, é importante referir que, pelo que me foi dito por um morador da zona, o local está praticamente sempre fechado, sendo apenas visitado quando as pessoas responsáveis pelo altar da N. Srª se deslocam lá para tratar dele.

Para lá do portão, encontramos este pequeno carreiro...

... que nos leva ao altar da N. Srª.

O aspeto do altar

As vistas lá do alto são fantásticas e é uma pena que já não se possa lá ir.


Ficha técnica:

Distância: depende das voltas que se der mas foram sensivelmente 12 km

Tempo: n/a

Tipo: circular

Dureza física (pelo sobe e desce)

Dificuldade técnica

Beleza do Percurso

Marcação: n/a

Informações sobre o percurso: n/a

Panfleto oficial: n/a

 

Ponto positivos: descoberta da faceta histórica de Vila Nova de Gaia

Pontos negativos: o facto de não ser possível visitar o castelo de Gaia 

Autoria e outros dados (tags, etc)


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Instagram


Siga o darasola no Instagram

Instagram

Copyrights

A reprodução de todo ou qualquer texto, fotografia ou conteúdo é expressamente PROIBIDA sem autorização por escrito do autor. A reprodução não autorizada é punida por lei. O eventual uso de conteúdos deste blog deve ser SEMPRE acompanhado da referência ao mesmo (de preferência com link). Para contacto: dar.a.sola@sapo.pt

Facebook



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D