Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

darasola

Percursos pedestres, caminhadas, pedestrianismo, trekking, trilhos, aventuras, viagens, passeios e descobertas!

darasola

Percursos pedestres, caminhadas, pedestrianismo, trekking, trilhos, aventuras, viagens, passeios e descobertas!

Trilho das Dunas de S. Jacinto - Aveiro

30.12.06 | darasola

Junto à Nacional 327, existe o posto de informação da Reserva onde se inicia o trilho.

Início do trilho. A placa engana, segundo o vigilante em serviço, o trilho não estava encerrado.

 

O percurso está assinalado no mapa a cor-de-laranja.

 

A protecção da fauna está bem presente.

Tal como a protecção da Flora, que também se encontra devidamente assinalada com pequenas placas informativas.

Um dos abrigos para observação das aves.

Sinto-me um verdadeiro David Attenborough !!! :-DDDD

A vista sobre o canavial. Patos ou aves? Nem vê-los! Mas dava para os ouvir...

A vegetação é singular.

O passadiço que leva até às dunas junto ao mar estava em muito mau estado. Mas deu uma beleza peculiar às fotografias pelas perspectivas que proporcionou.

Não dá para ir além desta "esplanada". O mar está logo ali à frente, mas o tempo coberto não o deixava espreitar.

O segundo posto de observação.

Aqui sim! Eram muitas as aves que desfrutavam da calma deste pequeno lago.

O trilho termina junto desta casa, perto da mesma nacional 327 por onde regressámos.

Mais informações no site oficial:

http://camarinha.aveiro-digital.net/

Caminhada na Freita - Arouca

26.12.06 | darasola

Nada como acordar cedo (um domingo) para ir caminhar para a Serra da Freita. O percurso começou no bosque que fica junto à zona do parque das merendas.

Seguimos em pela zona do PR em direcção à frecha da Mizarela.

Passagem por um bosque junto à Mizarela.

Vista sobre a zona de banhos próximo de Albergaria da Serra.

A escola (entretanto fechada) de Albergaria da Serra.

E um pouco mais acima da escola, existe um tanque que é abastecido por uma levada de água, que capta o precioso líquido numa linha de água mais adiante.

Acho que esta foto ficou espectacular...

É incrível o trabalho que tiveram para construir este rêgo de água.

Serpenteando pela serra...

O local da linha de água que abastece a levada.

Várias vistas da Serra da Freita a partir de um dos seus pontos mais altos (S. Pedro Velho - 1077m). Aqui a vertente Sul.

A vertente Oeste.

A vertente Este.

Noroeste.

Ja no regresso, mais um bosque onde o inverno se instalou.

Rocha da Pena - Salir - Loulé - Algarve

23.12.06 | darasola

Este é um percurso pedestre marcado na zona de Pena, perto de Salir em Loulé. é um percurso muito interessante não só pelas características da zona, pois a Rocha da Pena é uma cornija calcária com cerca de 50 m de altura, cujo planalto atinge aproximadamente 2 km de comprimento. A altitude máxima é de 479 m. 

O percurso inicia-se junto a esta fonte: A fonte dos amuados.

Início do trilho. A subida inicial é um pouco acentuada.

Já no alto do planalto.

O trilho tem zonas onde é um verdadeiro "single-track" onde só é possível progredir em fila indiana.

Mas também existem zonas onde o caminho é muito mais largo.

Este Sítio Classificado possui algum património construído, de grande interesse, como sejam os dois amuralhamentos de pedra, existentes no topo da Rocha da Pena, que se julga remontarem à Idade do Ferro e que terão sido utilizados outrora como estratégia de defesa. No topo da Rocha da Pena, existe ainda uma gruta que é conhecida como o Algar dos Mouros, pois foi aí que estes se refugiaram aquando da reconquista de Salir por D. Paio Peres Correia.

Vista sobre o mar.

Do alto das paredes de calcário.

O marco geodésico existente lá no alto conhecido como Talefe (479m)

Regresso pela aldeia de Penina.

O  regresso faz-se lentamente e com o sabor de uma tarde bem passada...

 

Aqui fica o mapa do percurso.

Via Algarviana II - S. Bartolomeu Messines - Vale Fuzeiros

20.12.06 | darasola

O percurso de 18 km entre S. Bartolomeu de Messines e Vale Fuzeiros serviu para testar o troço da futura via algarviana .

Iniciou-se junto à Igreja Matriz local.

Seguiu pelas ruas locais.

Passámos pela casa de João de Deus, autor da Cartilha Maternal.

Depois acabámos por sair da vila e seguir ao longo da via férrea durante algum tempo.

Até chegar a este local onde um rio atravessa o caminho. Tivemos de voltar atrás porque mais adiante o caudal não permitia a travessia.

Acabámos por atravessar a linha de caminho de ferro por um túnel.

Do outro lado da linha, subimos pelo monte...

... até chegar à Ermida de Sant'Ana

onde azulejos relembram o combate de Sant'Ana .

Junto à capela é possível apreciar a vista onde se destaca o rio Arade .

O percurso surge a partir daí balizado com as marcações de PRs e desce até em direcção à barragem

Aqui o tempo passa devagar...

Espelho de água na barragem do Funcho.

Uma marca com flor de Esteva. Ainda não percebi a que corresponde, mas é já a 2ª que encontro em locais diferentes do Algarve.

No tronco desta azinheira, um javali deixou as suas marcas depois de chafurdar numa poça de lama.

Ao chegar ao final do percurso, ainda passámos diante de um produtor de caracóis, onde fomos acolhido com este original sinal.

O percurso termina em Vale Fuzeiros onde é possível observar alguns túmulos escavados na própria rocha.

 

Caminhada Mina de S.Domingos - Pomarão

14.12.06 | darasola

Este percurso é em pleno Alentejo, perto de Mértola e inicia-se nas Minas de S. Domingos e acaba no Pomarão, cais do Guadiana. Atravessa o parque natural do Vale do Guadiana, naquele que era o antigo caminho de ferro (entretanto desactivado) que servia para levar o minério das minas até ao embarcadouro do Guadiana, onde era embarcado em navios e seguiam para Inglaterra. O percurso é longo (cerca de 24km) mas extremamente fácil pois a linha do caminho de ferro implicava um desnível muito baixo (ou quase nulo). Pelo facto de seguir essa antiga via férrea, também é muito difícil perder-se.

O percurso atravessa durante uma extensão de cerca de 4km a área abandonada das minas. a paisagem parece saída de um qualquer cenário da Guerra das Estrelas.

Ainda restam vestígios da actividade industrial.

Depois de sair da área da mina, a paisagem muda e parece-se com uma paisagem normal do Alentejo.

As pontes existentes ao longo do percurso estão todas destruídas (provavelmente eram feitas de madeira) e o percurso implica atravessar várias linhas de água. A maior porte é relativametne simples de transpor mas outras implicaram a contrução de pequenos passadiços improvisados. Uma coisa é certa: serviu para divertir o pessoal! :-D

Parque Natural do Vale do Guadiana

Placas que indicavam as localidades pelas quais passámos (aqui a aldeia de Gens)

É muito facil seguir o percurso (afinal por aqui passavam comboios)

Próximo do final do percurso surgem alguns túneis (alguns dos quais bastante extensos) pelo que recomendo uso de lanternas.

Em alguns dos túneis, a vegetação é tão densa que se tornou um pouco difícil sair. Talvez uma catana dê jeito :-D

Outra saída (escondida) de um túnel.

Chegada a Pomarão

O Guadiana em fúria depois de umas chuvadas intensas.

Mapa que indica o percurso (em verde)

Um blog para as caminhadas

05.12.06 | darasola

Já que tinha criado um blog para as aventuras de bicla, decidi criar também um blog para os percursos a pé. O pedestrianismo, para além do BTT, é outra das minhas grandes paixões. Permite-me relaxar e contactar com a natureza, apreciando a beleza das paisagens... Além disso, permite-me tirar uma fotos de paisagens lindíssimas. Vou passar a colocar aqui fotos dessas mesmas paisagens.

Espero que este blog permita divulgar trilhos espectaculares e, quem sabe, contactar com pessoas com o mesmo interesse.

Dar.a.sola

Blogs Portugal