Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Bioria - Percurso de Salreu - Estarreja

por darasola, em 22.08.07

De regresso ao Norte, aproveitei para fazer um percurso de que já tinha ouvido falar havia já algum tempo, sem nunca ter tido oportunidade para o fazer. Aproveitei então agora. O percurso em questão é o trilho da Bioria em Salreu (Estarreja), quer percorre uma zona natural que faz parte da Ria de Aveiro.

Uma das particularidades deste percurso é que fica muito perto do apeadeiro da C.P . pelo que é possível apanhar o comboio e ir fazer o percurso, mais uma oportunidade de deixar o carro em casa e poluir um pouco menos.

O percurso é circular e tem aproximadamente 8 km.

O mapa do percurso. Podem encontrar todas as informações no site oficial ou no site da câmara municipal de Estarreja.

O início do percurso é junto ao final do esteiro de Salreu .

Existem dois parques de merenda, no início e no meio do percurso, que podem usar para retemperar forças se estiverem muito cansados ou simplesmente com uma "fominha" ;-)

É um estradão largo de terra batida. É possível fazê-lo a pé e de bicicleta. Na altura até alguns carros e tractores vimos percorrer o caminho.

O que há de fantástico nesta zona da Ria de Aveiro é a quantidade de cegonhas que a elegeram como "residência"

A vegetação também é típica de uma zona lagunar onde se pratica a cultura do arroz.

Os charcos são abundantes e por isso os mosquitos também :-D Para quem for uma presa frequente dessas pequenas pragas aconselho o repelente (especialmente se for ao fim da tarde)

Umas vaquinhas a pastar "com toda a tranquilidade" ;-)

No horizonte, mais a sul, pode-se avistar as torres da fábrica de papel junto ao rio Vouga.

Existem vários painéis informativos ao longo do percurso que nos fornecem informações sobre a fauna e a flora que é possível observar.

Um tractor com umas rodas especiais para ser usado na cultura do arroz.

Um agrupamento de cegonhas, possivelmente fémeas a falarem sobre os destinos de férias ;-) Just joking!

O voo dos abutres? Não, nada disso! É mesmo o voo das cegonhas. É espantoso a quantidade dessas aves que avistámos. Também vimos garças, aves de rapinas e pequenas aves amarelas que pareciam canários, talvez Alvéolas-amarelas.

Vários lagostins estavam no caminho (vítimas das aves?).

O trilho passa junto ao rio Antuã, cuja pureza das águas já teve seguramente melhores dias...

O Antuã segue em direcção ao rio Vouga.

Mais um painel informativo. Infelizmente não consegui ver todos esses animais (já era de esperar).

O caminho continua com um dique a separá-lo da zona da ria certamente para evitar possíveis inundações.

A paisagem é espectacular junto à Ria.

Segue-se depois junto ao Esteiro de Salreu que nos leva até ao início do percurso.

Uma comporta para controlar os canais.

Mais um painel sobre aves e árvores.

Enquanto passeávamos, outros trabalhavam nas rotinas da lavoura.

O regresso ao início do percurso. Um bom trajecto para relaxar e apreciar a calma daquela zona. Hei-de lá voltar para dar uma voltinha de bicicleta com calma.

Boas caminhadas

Darasola

Autoria e outros dados (tags, etc)

Pêra - Percurso da Praia Grande

por darasola, em 20.08.07

Sempre associei Armação de Pêra à construção desenfreada de apartamentos junto à praia e por isso a atentados ambientais. Felizmente descobri que nem tudo é mau por aqueles lados.

Existe um pequeno percurso muito agradável, na Freguesia de Pêra, junto à Praia grande, assinalado com esta placa: Percurso de Interpretação Ambiental da Praia Grande"

Este é o local onde se inicia o percurso, junto a este moinho abandonado.

O percurso não está sinalizado como os PRs normais, no entanto não é difícil encontrar o caminho, até porque existem vários poste com setas e "placards" com informação sobre a fauna e flora da zona, o que nos permite interpretar facilmente aquilo que observamos.

O percurso é dividido em duas partes: o trilho poente e o trilho nascente. Comecei pelo lado poente e depois continuei pelo nascente.

O poste indica a direcção. Lá ao longe, o referido "atentado" à paisagem.

Cheguei junto a este charco, que representa outra habitat e onde foi possível observar várias aves.

O percurso segue para uma área de pinhal que representa outra habitat.

O painel informativo do pinhal.

Passando pelo pequeno pinhal, chega-se a um pequeno ribeiro que surge na continuação da linha de água do charco, em direcção ao mar.

 

Na parte sul do pinhal, umas colmeias representando uma actividade bem própria do Algarve.

O Tomilho é abundante nesta área, típico de um clima quase mediterrânico .

Uma das várias aves que avistei no local.

Passa-se uma pequena ponte, seguindo o ribeiro...

 

... e este muro com esta curiosa planta que não soube identificar, na zona que corresponde ao sapal.

Mais uma ave a espreitar.

Mais um painel informativo (sobre o sapal) antes de entrar na zona dunar .

Uma libélula do Benfica? Não sei... Não consegui tirar uma foto melhor sem que ela fugisse.

Nesta zona, o rio chega ao mar e cria uma área sem ondulação.

Segue-se paralelo ao mar pela dunas.

Até chegar à zona de estacionamento dos carros, onde basta seguir o estradão.

Passa-se pelo passadiço de madeira que leva as pessoas até à praia, preservando as dunas.

Sempre pelo estradão.

Até chegar a esta magnífica lagoa alimentada pela Ribeira de Espiche...

...uma zona pantanosa, conhecida como a Lagoa dos Salgados...

... onde é possível avistar estas aves fantásticas que são os flamingos.

Todos estes pontos brancos são flamingos. Infelizmente, logo atrás o avanço do imobiliário já se faz sentir e estraga a fotografia.

Existe uma miradouro para observação das aves.

O percurso continua pelas dunas em direcção ao mar, onde uma excelente tarde de praia estava à minha espera.

Para mais informações podem consultar este site.

Boas caminhadas

Darasola

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Blogs Portugal


Pág. 2/2



Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Instagram


Siga o darasola no Instagram

Instagram

Copyrights

A reprodução de todo ou qualquer texto, fotografia ou conteúdo é expressamente PROIBIDA sem autorização por escrito do autor. A reprodução não autorizada é punida por lei. O eventual uso de conteúdos deste blog deve ser SEMPRE acompanhado da referência ao mesmo (de preferência com link). Para contacto: dar.a.sola@sapo.pt

Facebook



Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2006
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D