Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

darasola

Percursos pedestres, caminhadas, pedestrianismo, trekking, trilhos, aventuras, viagens, passeios e descobertas!

darasola

Percursos pedestres, caminhadas, pedestrianismo, trekking, trilhos, aventuras, viagens, passeios e descobertas!

Soalhães - o regresso

24.06.12 | darasola

Tive oportunidade de regressar a um percurso já conhecido, mas que me agradou muito aquando da descoberta inicial: estou a falar do PR de Soalhães - Pedras, moinhos e aromas de Santiago. Foi bom voltar a este local, no entanto admito que da primeira vez achei-lhe mais graça porque estava verdejante, já que foi na primavera. Desta vez, foi em fevereiro e o frio fazia-se sentir. Para além disso, a vegetação estava toda desnudada, aguardando o renascer primaveril. Fica o novo registo fotográfico deste belíssimo percurso com cerca de 14km.

Capela de S. Clemente rodeada por vestígios de um incêndio.

Na zona do percurso conhecida por "Pedras brancas".

Uma excursão de processionárias.

O local da escadaria junto a uma pequena queda de água.

Existia mais abaixo um canteiro com algumas plantas aromáticas devidamente identificadas.

Uma casa de uma só telha como a de Monsanto.

Não é bem uma casa, mas antes um curral.

A furna.

A capela de S. Tiago.

A vista junto ao promontório da capela.

A zona da dita "calçada romana"

Finalmente, a zona dos moinhos, a mais interessante do PR.

As ruínas de um espigueiro.

O caminho na chegada à aldeia de Almofrela.

Vista para a referida aldeia.

A capela no centro da aldeia.

Caminho rural à saída da aldeia.

A vista para o vale de onde partíramos. A partir daqui era sempre a descer.

As ruínas da capela de S. Bento. Reparei que aquando da primeira passagem por ali, estas ruínas ainda ostentavam a pedras de topo com as inscrições em latim. Podem comparar com a foto antiga, clicando aqui.

São impressionantes os trilhos deixados pelos carros de bois na passagem pela pedra.

O grupo da caminhada.

Apesar de ser inverno, vimos vários incêndios a deflagrarem devido à intensa seca que se fez sentir este ano.

Ficaram aqui com o registo, para mais informações e mais detalhes do mesmo, recomendo a consulta do outro post e/ou a consulta do blog oficial do percurso.

Percurso Pedestre de Salir [Loulé - Algarve]

12.06.12 | darasola

O regresso ao Algarve foi aproveitado para conhecer o Percurso Pedestre inaugurado há uns meses em Salir. Para quem não sabe, Salir é uma aldeia do concelho de Loulé, situada em pleno barrocal algarvio, com as suas típicas paisagens mediterrânicas. É uma terra que prezo muito e por isso aproveitei para regressar lá e conhecer um trilho que nunca tinha percorrido.

O percurso é circular e coincide, na sua parte inicial, com o trajeto da Via Algarviana (GR13) e vai descendo por caminhos agrícolas até encontrar um vale extenso de orientação Este / Oeste. Seguem-se as paisagens típicas do barrocal algarvio com a vegetação que lhe é característica.

As frutícolas em flor, a primavera estava em força.

Painel informativo que marca o início do percurso.

A azul, o trajeto do mesmo.

Local do início do percurso, mesmo junto a uma pastelaria e a um mini-mercado local.

Descendo por entre os campos de amendoeiras (já poucas havia em flor), com o maciço da Rocha da Pena em pano de fundo.

Travessia da Ribeira de moinhos, a partir de onde se inicia a zona agrícola.

Na zona, é possível encontrar várias noras para as culturas de regadio.

Painel informativo sobre o funcionamento das mesma.

Chegada ao lugar de Fonte Figueira.

A respetiva fonte.

Aí o percurso bifurca à esquerda (sudeste) em direção ao lugar de "Deserto" - um curioso nome.

Um rebanho a pastar por ali.

Encontrei este amontoado de placas de madeira que parecem ser daquelas usadas na sinalização dos percursos.

A partir daqui o trilhos quase que desaparece, mas basta seguir na mesma direção...

... para que volte a aparecer.

Esta zona do percurso é bastante agradável e leva-nos a caminhar por entre a minha árvore algarvia preferida: a alfarrobeira.

Vista para a aldeia de Salir.

O piso é particularmente duro e é fundamental um bom calçado.

Chegámos ao local assinalado no mapa como miradouro.

Esta é a vista a partir do local.

No percurso, mais um campo de amendoeiras.

Painel informativo.

Inclui a referenciação dos vários locais observáveis.

O trilho e um vigilante ancestral.

Já quase a chegar ao lugar de Covões.

Neste local, acabei por ser atacado por dois cães, um deles ainda conseguiu morder-me a mão, mas consegui meter-lhe medo a acabaram por me deixar em paz. Esta situação tem vindo a acontecer com cada vez mais frequência, o que acaba por ser um verdadeiro problema para quem caminha sozinho ou em grupos pequenos. Alguém tem uma sugestão para impedir ou defender-se desses ataques?

Depois de passar o lugar, o trilho começa a descer, primeiro por uma pequena estrada...

... que rapidamente abandonamos para voltar a uma caminho de terra.

Mais uma fonte que se encontra no percurso.

O caminho torna-se um pequeno trilho estreito...

... até chegar a este estradão.

Seguindo alguns metros pelo mesmo, acabámos por virar à direita...

... por um trilho que quase não existe, tal é a vegetação do local.

Felizmente, as marcações são bem visíveis e é facil seguir o caminho.

Cheguei então a um pequeno parque de merendas.

A partir daí, o trilho encaminha-se novamente para Fonte Figueira e lá reencontramos o trilho inicial por onde seguimos para regressar ao ponto de partida.

O percurso tem aproximadamente 6,3 km e é circular, estando referenciado com a duração prevista de 2h. É uma excelente alternativa para quem não tiver vontade de ir para a praia ou para ocupar um dia de férias, quando o tempo não permite fazer praia.

Para mais informações, é favor contactar via e-mail.

Boas caminhadas

darasola

Estou a pensar ir #2

07.06.12 | darasola

 

Considerando que Arouca possui condições excelentes para a prática do pedestrianismo, mais conhecido por caminhadas ou passeios pedestres, o Centro Juvenil Salesiano, através do projeto PÉ DESTRO, vai promover atividades de pedestrianismo, com o objetivo de ajudar a combater o stress e contribuir para a manutenção de um estado ativo e saudável, sensibilizando, ao mesmo tempo para as questões ambientais e promovendo o conhecimento do património natural e paisagístico de Arouca e concelhos vizinhos.

Para a realização destas atividades o Centro Juvenil contará com o apoio e orientação de profissionais da área de Educação Física com formação em primeiros socorros e pedestrianismo.

Nas Escarpas da Mizarela

A primeira atividade a realizar nesta âmbito será uma “CAMINHADA ENTRE GERAÇÕES”, integrada no“Ano Europeu do envelhecimento ativo e da solidariedade entre gerações”   e terá lugar no dia 17 de Junho. O percurso escolhido para esta caminhada será o PR7, “Nas escarpas da Mizarela”.

Trata-se de um percurso de pequena rota, com a duração de cerca de 3.30h, com descidas e subidas de forte inclinação, sendo o nível de dificuldade médio/alto.

A todos os participantes será oferecido, a meio do percurso, água e broa com mel. O grupo de participantes será acompanhado por monitores com formação em primeiros socorros e pedestrianismo, sendo garantida a existência de um seguro para todos os participantes inscritos.

Inscrições

As inscrições poderão ser feitas diretamente na sede do Centro Juvenil Salesiano (Parque do Milénio), pelo telefone 912311605  ou através do mail cjsarouca@hotmail.com

O custo da inscrição será de 3€ que inclui seguro, água e broa com mel, bem como o acompanhamento de monitores.

Almoço – Sugestões

Para almoçar, quem o desejar, poderá recorrer à modalidade do picnic, pois a Freita apresenta ótimas condições para isso, incluindo abrigos com mesas e grelhadores.

Quem optar por Restaurantes poderá escolher entre estes:

Refugio da Freita (Parque de campismo do Merujal)- 256 947 723;Telm: 914847311 Restaurante Ponto Alto - Mizarela - Albergaria da Serra - Tel. 256 947 702; 
Restaurante Serrana da Freita - Merujal -Tel. 256 947 335 ; 
Restaurante Casa no Campo - Espinheiro –Tel. 256 941 900/91 425 22 84/91 852 89 46

Blogs Portugal