Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

darasola

Percursos pedestres, caminhadas, pedestrianismo, trekking, trilhos, aventuras, viagens, passeios e descobertas!

darasola

Percursos pedestres, caminhadas, pedestrianismo, trekking, trilhos, aventuras, viagens, passeios e descobertas!

Em busca do PR perdido [Arouca - Valinhas - Srª da Mó]

16.01.13 | darasola

 Em tempos, a Câmara de Arouca tentou inaugurar mais um PR marcado na zona do vale de Arouca. O seu trajeto ligava o centro histórico da vila à zona de Valinhas (local de relevo arqueológico com os vestígios de um casto antigo), seguindo até ao alto da Srª da Mó e regresso ao centro. Na altura, até se fez uma inauguração com centenas de convidados a participarem na descoberta dos encantos locais. Não sei por que razão, esse PR nunca passou do papel e, embora tenha sido devidamente marcado e até se tenha feito um esboço em papel do percurso, nunca chegou à fase de homologação. Talvez tenha sido abandonado a favor do projeto do GR28 que começou a ser esboçado na altura, visto que uma parte desse GR até é comum com o percurso de que falo. Não sei a razão. Acho que foi uma pena não ter ido avante, já que realmente dava destaque a aspetos importantes do centro de Arouca e permitia a descoberta de Valinhas. A sua eventual substituição pelo GR28 não colmata essa falha, já que poucos são os que percorrem os seus 90 km. Na altura, participei nesse percurso e gostei, no entanto já não me lembrava bem dos trilhos, mas decidi aventurar-me e seguir algumas das marcações que ainda resistem ao tempo.

O percurso inicia-se no centro de Arouca, na praça Brandão de Vasconcelos, seguindo pelas ruas mais antigas até ao Calvário. A partir daí entra-se por uma calçada junto à capela do Calvário e segue em direção à rotunda entre as piscinas e o estádio municipal. Pouco antes do Centro de Saúde, surge um caminho à direita que nos leva para uma zona de campos, junto a um ribeiro. O percurso dirige-se pouco a pouco em direção ao monte de Valinhas e na sua ascensão, vamos descobrindo os vestígios que as escavações deixaram a descoberto. A paragem na capela é obrigatória, até porque a subida ingreme a isso obriga. Posteriormente, iniciamos a descida por outro ponto mais a Este, que nos leva aos campos atravessados e em seguida à zona da estrada municipal ligando Arouca a Stª Eulália. Subindo pela estrada, voltei a encontrar uma marca no início de um caminho florestal que me levaria, a corta mato, a alcançar a estrada que liga Arouca a Alvarenga (EN 326-1). Faltavam pouco mais de 50m para chegar à estrada, mas a progressão foi muito complicada, com recurso a pau para afastar as silvas, e subidas de taludes agarrado a árvores. Felizmente, com algumas arranhadelas, conseguimos chegar ao alcatrão. Dali, foi fácil encontrar o caminho que leva à Capela de Stª Luzia, de onde se tem uma bela perspetiva sobre o vale de Arouca. Em seguida, seguimos pelo caminho ascendente até chegar ao percurso do GR28 que iríamos seguir para chegar a Arouca. Apenas fizemos um pequeno desvia para passamos pela Capela da Srª da Mó, um ex-libris de Arouca, cuja visita é obrigatória. Voltámos à estrada e ao GR 28 na descida do monte até ao centro, passando pela pequena Capela de S. Pedro.

 

Início do trilho depois das piscinas municipais.

Caminho rural junto à ribeira.

Outro aspeto do percurso.

Pequena travessia rudimentar.

O percurso atravessa um campo, em cima de uma curiosa separação em pedra que parece delimitar e dividir o terreno a meio.

Uma alminhas.

Cores de outono.

A vista para a Serra da Freita.

Chegada à estrada e início da subida para Valinhas.

O que resta das antigas marcações.

Os vestígios arqueológicos a descoberto.

Capela de S. João de Valinhas.

Seguindo pelo caminho, com algumas marcações.

Início da descida, por uma zona atingida por um incêndio no verão passado.

Na descida, com o terreno queimado.

No horizonte, o próximo destino: o monte da Srª da Mó.

Trilho com cores fantásticas.

Nova travessia do ribeiro.

Passagem por uma ponte rudimentar em cimento.

Chegada à estrada municipal Arouca - Stª Eulália

Junto a este caminho, antes de uma residência, encontrei uma marcação no muro de pedra junto ao poste. Segui por ali acima...

Passados poucos metros, o mato era muito denso e alto. A progressão foi muito difícil, chegamos a um local onde tinha havido alterações no terreno e foi necessário subir o talude para chegar à estrada, agarrados às árvores. Custou! Depois, foi fácil encontrar o caminho do outro lado da estrada.

A vista para a Srª da Mó.

Chegada à Capela de Stª Luzia.

A capela vista de frente.

Seguimos subindo caminho e passámos por este cruzeiro, utilizado na romaria da capela.

Outra perspetiva da Srª da Mó.

Junto ao caminho, uma antena de comunicações.

Utilizamos um pequeno atalho ao GR28.

A Srª da Mó cada vez próxima, no percurso do GR28.

A escadaria de acesso ao adro coberta de folhagem.

A capela da Srª da Mó.

A vista para Arouca.

Descida pela estrada até encontrar um caminho florestal do lado direito.

Que nos levou junto da antiga casa da guarda florestal.

Chegada novamente à estrada...

... que continuámos a seguir até aparecer a indicação do GR 28 que nos leva novamente para os trilhos.

Já próximos do centro da vila, a passagem junto à capela de S. Pedro.

Aqui, a capela de Stº António, frente à câmara municipal.

Chegada à avenida e praça central.

Finalmente o convento.

Foi um percurso de cerca de 15 km, que me deu muito gozo redescobrir, apesar de algumas dificuldades.

 

Distância: cerca de 15 km

Tempo: 2h30 (+/-)

Tipo: circular

Dureza física:

Dificuldade técnica:

Beleza do Percurso

Marcação:

Informações sobre o percurso: inexistentes

Panfleto oficial: inexistentes

 

Ponto positivos: centro histórico de Arouca (Convento, Calvário); Monte de Valinhas; Monte e Capela da Srª da Mó

Pontos negativos: falta de suporte oficial, mau estado de algumas zonas dos trilhos (muito mato e desaparecimento de caminhos)

 

Boas caminhadas

darasola

As melhores caminhadas do mundo - os TOPs

08.01.13 | darasola

Vale a pena deliciar-se a ver as fotos destes belíssimos percursos.

Ficam aqui várias propostas, já que estas classificações são sempre subjetivas.

 

http://adventure.nationalgeographic.com/adventure/trips/best-trails/world-hikes/

 

http://adventure.nationalgeographic.com/adventure/trips/best-trails/worlds-best-grail-trails/

 

http://www.bootsnall.com/articles/09-02/10-best-hiking-trails-world.html

 

Quem já percorreu alguma?

Blogs Portugal