Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Foi por mero acaso que ouvi falar da Tebaida Berciana. Folheava um jornal diário quando um artigo me chamou a atenção acerca do alerta da Unesco para as 10 paisagens naturais/culturais mais ameaçadas. Eram regiões localizadas um pouco por todo o planeta e a mais próxima era em Espanha: a Tebaida Berciana.

Também referida como Tebaida Leonesa, essa região foi declarada "paisagem pitoresca" e reconhecida como bem de interesse cultural, e localiza-se na zona de Ponferrada (Comarca del Bierzo - León - Castilla y León). A nível histórico, esta região caracteriza-se por ter sido escolhida a partir do Séc. IV por vários ermitas cristão para retiro espiritual. Também foi sede de vários mosteiros e igrejas como o de S. Pedro do Monte e a de Peñalba de Santiago. Do ponto de vista natural, a região é de enorme beleza, com bosques frondosos de castanheiros e carvalhos ancestrais.

Peñalba de Santiago é uma pequena aldeia pitoresca localizada nesta região que foi distinguida como "Uno de los pueblos más bonitos de España". A estrada para lá chegar é longa e tortuosa, mas vale bem a pena, pois a aldeia é um encanto. As casas tradicionais estão todas em perfeito estado e fácil perder a noção do tempo a percorrer as ruelas da aldeia observando os traços típicos da arquitetura tradicional medieval, como as varandas de madeira e os telhados de lousa. A Igreja medieval de estilo Mozárabe é o principal monumento, mas na verdade toda a aldeia acaba por ser um monumento.

Esta aldeia é também um ponto de acesso para o Vale do Silêncio, um vale situado nos montes Aquilanos de grande beleza e que é possível descobrir por um percurso circular de 14,5 km. Isso não estava na ementa do dia, mas não queríamos deixar a aldeia sem ter um pequeno vislumbre da beleza do Vale do Silêncio, por isso decidimos fazer um pequeno passeio até à Cueva de San Genadio, uma pequena gruta natural no flanco da montanha, onde segundo a lenda o santo se recolhia para meditar.

Vale_del_silencio_01.jpg

Entrada na zona da Tebaida Berciana.

Vale_del_silencio_02.JPG

À entrada de Peñalba de Santiago, a placa que assinala o facto da aldeia ser "uno de los puéblos más bonitos de España".

Vale_del_silencio_03.JPG

Os carros não entram na aldeia. Há um estacionamento disponível à entrada da aldeia para deixarmos os carros e percorrermos as ruelas tranquilamente.

Vale_del_silencio_04.JPG

A ruela principal.

Vale_del_silencio_05.JPG

Existe um pequeno restaurante/café, mas pelo que percebemos apenas servem almoço por encomenda.

Vale_del_silencio_06.JPG

Chegada à Igreja Moçárabe de Peñalba de Santiago, que se encontrava fechada.

Vale_del_silencio_07.JPG

Uma bela casa de arquitetura medieval perfeitamente restaurada.

Vale_del_silencio_08.JPG

Todas as casas da aldeia estão em perfeito estado.

Vale_del_silencio_14.JPG

Vale_del_silencio_09.JPG

"É melhor voltar atrás do que perder-se no caminho" - sábias palavras.

Vale_del_silencio_10.JPG

A vista para os monte aquilanos.

Vale_del_silencio_11.JPG

A única indicação que encontrámos no centro da aldeia referente à Cueva.

Vale_del_silencio_12.JPG

Seguimos essa direção em direção às montanhas.

Vale_del_silencio_13.JPG

O dia de outono estava fantástico.

Vale_del_silencio_15.JPG

Uma fonte à saída da aldeia.

Vale_del_silencio_16.JPG

Finalmente encontrámos placas de sinalética dos vários percursos que por ali existem.

Vale_del_silencio_17.JPG

e lá estava a indicação da Cueva de S. Genadio.

Vale_del_silencio_18.JPG

Castanheiros ancestrais.

Vale_del_silencio_19.JPG

Uma curiosidade: o cemitério da aldeia fica bem distante do centro da aldeia e da sua igreja.

Vale_del_silencio_20.JPG

O outro lado do vale.

Vale_del_silencio_21.JPG

Vista para o Vale do Silêncio.

Vale_del_silencio_22.JPG

A calma e tranquilidade do lugar fazem jus ao nome que lhe foi dado: Vale do Silêncio.

Vale_del_silencio_23.JPG

Mais um cruzamento com abundância de sinais.

Vale_del_silencio_24.JPG

Uma pequena ponte para a travessia da linha de água, que ia quase seca.

Vale_del_silencio_25.JPG

Olhando para trás, mal se consegue perceber as construções da aldeia por entre as cores de outono.

Vale_del_silencio_26.JPG

Vale_del_silencio_27.JPG

Na direção da Cueva.

Vale_del_silencio_28.JPG

Mais uma pequena ponte.

Vale_del_silencio_29.JPG

Começamos a subir ligeiramente até ao largo onde fica a cueva.

Vale_del_silencio_30.JPG

O interior da cueva ...

Vale_del_silencio_31.JPG

... com o altar a S. Genadio.

Vale_del_silencio_32.JPG

A vista a partir da cueva para a aldeia de Peñalba de Santiago.

Vale_del_silencio_33.JPG

Vale_del_silencio_34.JPG

Já no regresso, seguimos por um caminho diferente daquele por onde tínhamos vindo e descemos mais no vale da aldeia.

Vale_del_silencio_35.JPG

Entramos numa zona mais densamente arborizada com castanheiros enormes.

Vale_del_silencio_36.JPG

Ainda pudemos observar este amiguinho fugidio.

Vale_del_silencio_38.JPG

Um colmeal.

Vale_del_silencio_39.jpg

O caminho passou então para uma zona mais rural, com alguns campos de cultivo ainda abaixo da aldeia.

Vale_del_silencio_40.jpg

A vista para o monte onde se situa a cueva.

Vale_del_silencio_37.JPG

A subida até voltar à aldeia foi um pouco longa e penosa, com o sol de outono a aquecer e a intensificar o nosso esforço, mas o passeio com cerca de 5 km valeu bem a pena. Ficamos curiosos por conhecer um dia o trilho que leva à descoberta dos montes Aquilanos.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Blogs Portugal



Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Instagram


Siga o darasola no Instagram

Instagram

Copyrights

A reprodução de todo ou qualquer texto, fotografia ou conteúdo é expressamente PROIBIDA sem autorização por escrito do autor. A reprodução não autorizada é punida por lei. O eventual uso de conteúdos deste blog deve ser SEMPRE acompanhado da referência ao mesmo (de preferência com link). Para contacto: dar.a.sola@sapo.pt

Facebook



Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2006
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D