Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

darasola

Percursos pedestres, caminhadas, pedestrianismo, trekking, trilhos, aventuras, viagens, passeios e descobertas!

darasola

Percursos pedestres, caminhadas, pedestrianismo, trekking, trilhos, aventuras, viagens, passeios e descobertas!

Caminho de Santiago do Caramulo ao Vale do Vouga - Oliveira de Frades

05.09.16 | darasola

Este projeto nasceu da iniciativa de 7 municípios da zona centro (Vouzela, Oliveira de Frades, Sever do Vouga, Tondela, Albergaria-a-Velha, Águeda e Viseu) em dinamizar os caminhos de Santiago nessa zona do país.O traçado total desse trajeto denominado Caminho de Santiago do Caramulo ao Vale do Vouga (CSCVV) liga o Caminho do Interior ao Caminho Central e tem uma extensão total de cerca de 110 km.

Antes que os mais puristas façam entoar a sua voz de protesto, convém esclarecer que não sou daqueles que considera que há apenas "um" caminho de Santiago. Como muitas vezes se diz, o caminho de Santiago começa à porta da casa de cada um. Assim, porque não destacar os antigos caminhos históricos desses concelhos, que muitas vezes têm origem nas vias romanas ou caminhos de romarias ancestrais?

Feito o esclarecimento, convém dizer que esta caminhada foi integrada num evento ligado ao geocaching e que tinha como objetivo juntar a caça às geocaches à descoberta do trilho na parte correspondente ao território do concelho de Oliveira de Frades.

 OlivFrades_Santiago_01.JPG

Início no centro histórico de Oliveira de Frades

OlivFrades_Santiago_02.JPG

Igreja paroquial de S. Pelágio.

OlivFrades_Santiago_03.JPG

O percurso está todo marcado com as tradicionais setas amarelas.

OlivFrades_Santiago_04.JPG

Edifício da antiga estação de comboio de Oliveira de Frades.

OlivFrades_Santiago_05.JPG

Junto ao monumento da Srª do Bom Caminho, um altar que vem mesmo a calhar para abençoar o caminho de quem ali passa.

OlivFrades_Santiago_06.JPG

Passando por caminhos florestais.

OlivFrades_Santiago_07.JPG

Capela da N. Senhora da Ajuda, na aldeia de Vilarinho.

OlivFrades_Santiago_08.JPG

Reflexos sobre o Caramulo.

OlivFrades_Santiago_09.JPG

Cruzeiro de S. Martinho.

OlivFrades_Santiago_10.JPG

OlivFrades_Santiago_11.JPG

OlivFrades_Santiago_12.JPG

OlivFrades_Santiago_13.JPG

OlivFrades_Santiago_14.JPG

OlivFrades_Santiago_15.JPG

OlivFrades_Santiago_16.JPG

OlivFrades_Santiago_17.JPG

Passagem pela aldeia de Pontefora.

OlivFrades_Santiago_18.JPG

Na estrada romana de Pontefora-Ral

OlivFrades_Santiago_19.JPG

OlivFrades_Santiago_20.JPG

Paisagens de primavera.

OlivFrades_Santiago_21.JPG

Capela de S. Miguel na aldeia de Ral

OlivFrades_Santiago_22.JPG

Uma casa senhorial imponente no meio do campo.

OlivFrades_Santiago_23.JPG

Um dia de primavera perfeito!

OlivFrades_Santiago_24.JPG

O pontão "romano" na entrada da aldeia de Entreáguas.

OlivFrades_Santiago_25.JPG

A capela de S. Miguel à entrada da mesma aldeia.

OlivFrades_Santiago_26.JPG

OlivFrades_Santiago_27.JPG

Passagem pelo carvalho centenário da Fontanheira, classificado como árvore de interesse público.

OlivFrades_Santiago_28.JPG

O percurso encontra então a auto-estrada A25 e segue durante quase 1km ao longo da mesma.

OlivFrades_Santiago_29.JPG


Abandonamos então o percurso do CSCVV para nos dirigirmos até à aldeia de Reigoso onde terminou esta caminhada.

OlivFrades_Santiago_30.JPG

O percurso continua em direção a Santiago pelo concelho vizinho de Sever do Vouga, no entanto, à data deste artigo, desconheço se o caminho se encontra marcado a partir daí.

OlivFrades_Santiago_31.JPG

Chegada à aldeia de Reigoso onde o transporte aguardava os caminhantes para os levar ao ponto de partida após um percurso bastante agradável com cerca de 13 km.

 

Ficha técnica: 

Distância: cerca de 13 km

Tempo: 3h30 (+/- com paragens para fotos e caches)

Tipo: linear

Dureza física: 2/5

Dificuldade técnica: 1/5

Beleza do Percurso: 3/5

Marcação: 5/5 (setas amarelas)

Informações sobre o percurso: aqui

Outros sites de relevo:

Panfleto oficial: n/a

Trilho GPX: n/a

Ponto positivos: paisagens rurais e florestais, património histórico

Pontos negativos: alguns aviários pelo percurso, a parte junto à A25

Blogs Portugal