Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

darasola

Percursos pedestres, caminhadas, pedestrianismo, trekking, trilhos, aventuras, viagens, passeios e descobertas!

darasola

Percursos pedestres, caminhadas, pedestrianismo, trekking, trilhos, aventuras, viagens, passeios e descobertas!

Percurso pedestre do Aqueduto da Água da Prata - Évora

01.01.18 | darasola

O Aqueduto da Água da Prata é uma obra de engenharia imponente do séc XVI, que servia para o abastecimento de água à cidade. Com 18 km de extensão percorrendo a paisagem típica alentejana, liga a zona da Herdade do Divor até à Praça do Giraldo, bem no centro histórico da cidade. Aproveitei uma ida ao Alentejo para conhecer este percurso pedestre criado com o objetivo de valorizar este património único. O trilho tem a vantagem de poder ser feito a pé ou de BTT e acompanha o percurso feito pela água nesta estrutura centenária. Esta parecia ser uma nova descoberta promissora e agradável, mas acabou por ser uma tarde desagradável devido aos "encontros imediatos" com os nossos "amigos" de 4 patas. O aqueduto passa ao longo de várias propriedades privadas guardadas por cães de grande porte e se em algumas zonas as vedações eram eficientes e apenas ficámos sujeitos a ouvi-los ladrar de forma ameaçadora, noutros locais conseguiram facilmente furar pelas redes e tentaram atacar-nos. Entendo a necessidade dos donos protegerem a sua propriedade com cães, mas sendo um percurso "público" é fundamental que seja seguro para todos. Para além disso, existem algumas rampas de madeira ao longo do trilho que estão bastante danificadas. A entidade responsável (a câmara municipal de Évora) deve urgentemente rever estes aspetos.

Fora isso, o percurso em si é interessante, cruza zonas de paisagens tipicamente alentejanas e alterna entre zonas onde o aqueduto está enterrado, outras onde está à superfície e outras ainda onde está elevado e sustentado por arcos imponentes.

Aqueduto_Prata_Evora_01.jpg

Acessos à zona inicial do percurso pedestre.

Aqueduto_Prata_Evora_02.jpg

Aqueduto_Prata_Evora_03.jpg

Acesso entre cercas de propriedades privadas onde o gado (não se vê nas fotos, mas andava lá) pasta livremente.

Aqueduto_Prata_Evora_04.jpg

Aqueduto_Prata_Evora_05.jpg

O aqueduto está enterrado nesta zona.

Aqueduto_Prata_Evora_06.jpg

A presença do aqueduto é facilmente identificável pelas "caixas de visita", que servem para a limpeza dos detritos sólidos que  a água leva.

Aqueduto_Prata_Evora_07.jpg

Início da zona em que o aqueduto fica exposto.

Aqueduto_Prata_Evora_08.jpg

O início do trilho mais "estreito" está assinalado com a grelha que impede que o gado entre pelo percurso.

Aqueduto_Prata_Evora_09.jpg

A partir daí o trilho acompanha o aqueduto numa estreita faixa para a passagem.

Aqueduto_Prata_Evora_10.jpg

Aqueduto_Prata_Evora_11.jpg

O aqueduto acompanha as linhas de nível para levar a água pela força da gravidade até ao seu destino.

Aqueduto_Prata_Evora_12.jpg

Aqueduto_Prata_Evora_13.jpg

Aqueduto_Prata_Evora_14.jpg

Uma das rampas referidas, que estava sem uma tábua e com a madeira a dar sinais de não aguentar muito peso.

Aqueduto_Prata_Evora_15.jpg

Uma passagem superior para acesso à propriedade do outro lado.

Aqueduto_Prata_Evora_16.jpg

Na zona do Ribeiro de Pombal existe uma construção sobre arcos -  conhecida como Cano Alto - para a travessia sobre o ribeiro.

Aqueduto_Prata_Evora_17.jpg

Não dá para perceber pela densa vegetação da zona, mas o ribeiro corre ali por baixo.

Aqueduto_Prata_Evora_18.jpg

Aqueduto_Prata_Evora_19.jpg

Aqueduto_Prata_Evora_20.jpg

Uma passagem inferior.

Aqueduto_Prata_Evora_21.jpg

Aqueduto_Prata_Evora_22.jpg

Uma zona mais larga para permitir o acesso a veículos à propriedade agrícola do outro lado.

Aqueduto_Prata_Evora_23.jpg

Aqueduto_Prata_Evora_24.jpg

Mais uma zona onde o aqueduto passa num nível superior sustentado por arcos.

Aqueduto_Prata_Evora_25.jpg

Aqueduto_Prata_Evora_26.jpg

Aqueduto_Prata_Evora_27.jpg

Aqueduto_Prata_Evora_28.jpg

Depois desta zona, o aqueduto alcança a estrada Évora - Arraiolos, o que nos obriga a seguir ao longo da estrada durante algumas centenas de metros. Pouco depois saímos da berma da estrada e entramos nos caminhos agrícolas perto do convento de S. Bento de Cástris.

Aqueduto_Prata_Evora_29.jpg

A malha urbana dos arredores de Évora estava a ser alcançada.

Aqueduto_Prata_Evora_30.jpg

Aqueduto_Prata_Evora_31.jpg

Aqueduto_Prata_Evora_32.jpg

Aqueduto_Prata_Evora_33.jpg

Aqueduto_Prata_Evora_34.jpg

Aqueduto_Prata_Evora_35.jpg

E alcançámos novamente a estrada R114-4 que liga a Arraiolos junto à parte mais alta do aqueduto, onde encontramos um painel informativo sobre o percurso pedestre.

Ainda fizemos um pequeno desvio para vermos o Convento da Cartuxa...

Aqueduto_Prata_Evora_37.jpg

... onde os monges vivem em clausura. O aqueduto passa logo à entrada e daí não passamos.

Aqueduto_Prata_Evora_38.jpg

Seguimos então pela ciclovia que passa mesmo em frente em direção ao centro da cidade.

 

Ficha técnica: 

Distância: 8,5 km

Tempo: 2h30

Tipo: linear

Dureza física: 1/5

Dificuldade técnica: 1/5

Beleza do Percurso: 2/5

Marcação: n/a

Informações sobre o percurso

Outros sites de relevo

Panfleto oficial

Trilho GPX

Ponto positivos: património histórico e arquitectural do aqueduto

Pontos negativos: ataques dos cães, necessidade de manutenção de algumas zonas do percurso

 

Blogs Portugal